"Quando o amor vem à tona, ele libera você"

Vou traduzir essa percepção sistêmica através do seguinte exemplo: Uma mulher adulta, com uma carreira profissional bem definida, super dedicada, com tudo para "ter sucesso na vida" sente bem no profundo um certo "MEDO DO SUCESSO". Mesmo ela estando bem preparada profissionalmente, algo a impede de fluir, de ter prosperidade, muitos clientes, de brilhar. E esse algo é inconsciente. Ela não sabe os motivos, mas sente esse medo de ter sucesso, de crescer na vida.

Então, através de uma Constelação, foi possível ver que essa mulher estava profundamente conectada com sua MÃE através de um amor cego, aquele amor que não vê a realidade como é, um amor infantil que via a mãe como alguém que não teve sucesso, que não foi bem sucedida profissionalmente. Esse "amor cego" atuava como uma LEALDADE À MÃE. Onde internamente ela dizia: "Como eu posso ter sucesso, ter uma carreira bem sucedida se minha mãe não pode ter?". Essa era a sensação interna que a impedia de seguir livremente na sua carreira.


Quando "vemos" essa imagem interna através da constelação e quando esse "amor" pela mãe vem à tona, é possível deixar com a mãe o destino dela, olhar com respeito para a história da mãe e pedir a bênção para fazer um POUQUINHO DIFERENTE. Esse é o AMOR QUE LIBERA. É o amor que vê a força da mãe para dar conta do seu destino. E quando vemos a força da mãe, acessamos a nossa força para seguir na vida! Para fazer valer a pena a vida que chegou até nós.


Esse exemplo que trouxe é um caso verídico que demonstra o que QUANDO O AMOR VEM À TONA, ELE LIBERA VOCÊ.


Se algo na sua vida não flui como você gostaria, se algo parece difícil e pesado, pode haver aí um amor cego que ainda não viu a realidade como é.

A Constelação familiar traz à luz o que está oculto e possibilidade essa reconciliação através do amor que vê a força do nosso sistema e a nossa força interior.


Fabiane de Oliveira - Terapeuta Sistêmica.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo